terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Timidez


Sabem o que tenho pensado nos últimos tempos?
Na timidez...

Dizem que quando pensamos muito nas coisas que estas simplesmente deixam de existir...
Se pensamos muito no porque da dor, esta começa a deixar de fazer "sentido"...
Se pensamos muito no porque do amor, este começa a deixar de fazer "sentido"...
A realidade é que acho que há coisas que existem simplesmente para não se pensar nelas, há coisas que foram feitas para existirem no coração dos pequenos...

Assim e só assim, porque nos fazem sentir bem, sem razão alguma...

Tenho pensado na timidez porque gostava de entende-la...
Tenho muito dela em mim, e não me importo que perca o "sentido"...

Acho que esta só existe quando achamos que temos algo a perder, quando sentimos medo de que nos possam "estragar" alguma coisa...
E depois chego à conclusão de que tudo isto só existe quando está presente um sentimento de "importância", quando sentimos que possuímos algo muito valioso a guardar...

E afinal o que temos assim de tão valioso para guardar?
Se é valioso então que o partilhemos...

Podem nos estragar? Podem, mas ao fim ao cabo o que?
O que tenho assim de tão importante que não possa ser quebrado?


Acho tantas vezes que os pés são grandes, quando na realidade são bem pequenos...
E ainda bem que são assim...



A timidez não me deixa voar...
Quero libertar-me dela...

sábado, 26 de dezembro de 2009

domingo, 20 de dezembro de 2009

Roubaram a liberdade...

Procurem...



Roubaram a liberdade...
Vinham de cabeça baixa e olhar baço...
Traziam um sorriso invertido...
E sem pensar uma única vez, levaram-na aos ombros, como um fardo pesado...

Não foram capazes sequer de a olhar...
Tinham dito: "No dia em que olhares para ela, não mais serás o mesmo, e se isso fizeres nunca serás capaz de a roubar e ela te tomará nos seus braços. Dizem que tem um poder sedutor"...

Roubaram-na...
E prenderam-na entre cordas da lei, entre obrigatoriedades, entre tanta coisa para fazer e tantas preocupações a pensar...

Exigiram dinheiro...
Mas este nunca foi válido...
Nunca a libertação da liberdade poderá ser paga...

Chegaram alguns a acreditar que ela era mesmo culpada...
Conseguiram torna-la inútil e sem importância...

Mas uma coisa se revelou aos olhos de todos...
Nunca mais se viram voos a grandes altitudes nem pessoas de sorriso não invertido...
Os corações se amarraram...


Roubaram-na e não mais a devolveram...
Mas livre será aquele que acreditar que nunca a liberdade poderá ser roubada...
Mas livre será aquele que nunca a considerar como morta...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Olha a tua volta e vê... afinal onde estão os velhos?


O mundo acha-se imortal...
O mundo acha que sempre viverá na juventude, e que nunca envelhecerá...
Velhos são sempre os outros...
O mundo acha-se dono dos elixires da juventude...

Desculpem o desabafo, mas estou farta de ouvir as pessoas que andam de autocarro a dizer: "Os velhos não sabem ficar em casa, vêm para aqui passear, e nós a precisarmos de lugar. Deviam era ficar quietinhos em casa com a sua mantinha e a ver os programas da TV"...

Isto rói-me...
Mas que raio temos nós na cabeça, para acharmos que a nossa saída, a nossa viagem de autocarro é mais válida que a de outra pessoa qualquer? Como somos capazes de achar a nossa existência mais válida que a de outro alguém?
Como é que podemos querer exigir luxo a algo que nos é "oferecido", e como podemos querer tornar nosso, algo, que é de todos?

Gosto muito das viagens de autocarro, a sério que sim...
Mas fico "raivosa" quando vejo a sociedade a conviver dentro daquele pequeno espaço (assim seriamos nós se nos pusessem em relação com todos, e não apenas com aqueles que escolhemos...)

Temos os olhos virados para dentro e estamos constantemente a acharmo-nos pessoas importantes...
Se agora chegasse aqui o Nicolau Copérnico a defender o Sol como centro do sistema, era logo reencaminhado para uma psiquiatria, porque centro, centro, só eu...

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pequenas coisas...


Hoje um rapaz abrigou-me no seu guarda-chuva, enquanto
esperava o autocarro, e dei por mim a ver o Reino de Deus a acontecer!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Apenas tudo...


Abbá, que bom que para mim já não és algo sobrenatural e te vais tornando tão natural, assim, tão parte de mim...

Assim, tão natural, que nem estranho estares sempre presente...

Que bom Abbá, por estares cada vez mais presente nos meus dias...
Que bom, que bom, que bom...

Não pares nunca de me limpar estes olhos e de tornares o meu coração repleto de coisas tão boas...

Obrigada Abbá, porque me permites experimentar-te de tal forma, que quando falo de ti, nunca vêm atrelado um "apenas"....
És tanto!!!

Sabes Bom Deus, dá-me sabedoria, faz-me sábia nas minhas palavras e mais do que nas palavras, no meu agir...
Torna-me capaz...
Serena-me...
Ouço-te constantemente a dizer-me, vai com calma...

És de tal forma tão entusiasmante e excitante que parece que contigo a calma não se diz...
Mas diz, eu sei que sim...
Quanto mais te vou conhecendo, vou aprendendo que também faz parte de ti a calma, o serenar este coração atribulado...

Serenar para que me possa sentir capaz de ir dando contigo os primeiros passos assim, passo a passo...



Obrigada Bom Deus, pelas mediações...
Por aquelas pessoas que te trazem pintado no coração, e te dizem, como só aqueles que realmente te experimentam sabem e podem dizer...
Obrigada por aqueles sorrisos envergonhados, de pessoa apaixonada, que nascem de gente tão bonita, quando fala de ti...

Quando for grande, quero ter muitos traços destes rostos, e que sejam eles a construir a minha face, e quando for velhinha, quero que as rugas que se fizerem notar, sejam as marcas de sorrisos agradecidos...

Obrigada por estarem comigo...





Quando reinas, quando és a coroa que nos faz vaidosos, tudo é tanto...

Obrigada, obrigada, obrigada...

domingo, 6 de dezembro de 2009

Hoje


...faz-me CAPAZ DE TI...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Sinto-me bem pequenina, esmagada por entre os pés, de uma mentalidade longe da minha...


sábado, 21 de novembro de 2009

Ouço no meu coração...


Não estou triste...
Apesar de momentos mais atribulados, não me consigo sentir triste...

Posso sentir-me por vezes a sufocar, mas não me consigo sentir triste...

Sinto-me verdadeiramente grata pela vida. Sinto-me verdadeiramente grata pela forma que dás aos meus olhos, pela forma que dás às minhas mãos, à minha boca, aos meus ouvidos, ao meu coração...

Como posso ficar triste, quando deixas o coração com o maior sorriso? Quando o enches de tal forma que o posso tocar por todos os lados...
Como posso ficar triste, com aquilo que transformas?
Não tenho motivos para ser triste...


Uma enorme gratidão...


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Esse teu colo...


Oh Bom Deus...
Porque não conseguimos todos sentir-te? Porque é que por vezes é tão difícil reconhecer-te?

Eu queria uma aliança, uma grande aliança contigo...
Que toda a humanidade se sentisse apaixonada por ti...

Que a humanidade se apaixonasse verdadeiramente...

Não te largues de mim. Fica bem aqui dentro e deixa-me conhecer cada um dos teus traços...
Aconchega-me... aperta-me bem em ti...

Liberta-me.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

.

A motivação há-de voltar...


(Assustam-me os motivos de toda esta desmotivação. Existe uma necessidade enorme de me libertar. Estou cansada... Não sei se o caminho é este, não sei se é por aqui nem se é assim que se faz mas, não quero respostas, hei-de encontra-las... Não tem sido muito agradável. Precisava largar tudo e ir. Não sei para onde. Apenas ir.... Silêncio era bom, obrigada! Sinto que não é por aqui... Se calhar até é mas, não o desejo desta forma. Confusão... À procura... A alma está do avesso!?!?)


terça-feira, 3 de novembro de 2009

De olhos fechados...



Achei este vídeo mesmo engraçado!
Divirtam-se!!!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Qual lógica?


Não me quero deixar enganar pelo mundo...
Não quero pertencer à lógica do mundo...

Não só não quero como também não estou preparada para o enfrentar...
Não estou preparada para uma sociedade feita de carreiras, para uma sociedade de estatutos, para uma sociedade de gente mais importante que gente...

Tem sido duro e não me sinto com forças para o olhar de frente e enfrentar...
Tantas palavras que ficaram travadas porque não me sinto capaz...
O mundo deixa-me confusa e calo com medo de ser injusta, calo porque sou fraca para enfrentar discussões ou para lutar com respeito por aquilo em que acredito...

Não quero pertencer a uma sociedade que diz que os mais novos não sabem nada...
Não quero pertencer a uma sociedade que diz que os mais velhos já se esgotaram...

Não quero fazer parte de uma sociedade que não aceita aprender com os outros...
Não quero fazer parte de uma sociedade de preconceitos e regras ditadas...

Não quero pertencer a uma sociedade feita tabela, com limites determinados...
Não quero pertencer a uma sociedade onde os mais velhos dizem aos mais novos que podem parar de sonhar porque quando tinham a idade deles também sonhavam e que não valeu de nada...
Não quero pertencer a uma sociedade onde os mais velhos não sonham...
Não quero pertencer a uma sociedade envelhecida e fraca...

Não quero fazer parte de uma sociedade que julga as acções mais atrevidas como uma perda de tempo...
Não quero fazer parte de uma sociedade que julga...
Não quero fazer parte de uma sociedade cadeia, onde só os loucos voam...

Não quero pertencer a uma sociedade que diz que tudo é apenas uma ilusão...



Não quero uma sociedade morta...
Não quero pertencer a uma sociedade sem amor...
Não quero ser parte de uma sociedade assim...


domingo, 1 de novembro de 2009

Ser Humano é Ser Divino...



Entristece-me o facto de não ter o dom da palavra, de não possuir a graça de bem escrever...
Enche-me muito quando leio ou ouço palavras que me fazem querer torna-las minhas...

Existem palavras que nos tocam desde a unha do pé à ponta do cabelo...
Existem pessoas que com as palavras nos conseguem revolver as entranhas...

Há pessoas tão boas...
Para mim boas não significa aquele que faz boas acções...
Existem pessoas que são realmente boas, boas pela maneira como acolhem o coração dos outros e pela maneira como cuidam do próprio...

São pessoas extremamente, imensamente, grandiosamente bonitas...
E elas andam por aí, verdade que andam...

É tão bom fazer a experiência de conhecer alguém num só dia, como se já o conhecesse desde o dia em que fui gerada na barriguinha da mamã...

É tão bom sentir, fazer a experiência, de um coração que se funde com outro...
Sentir que são feitos do mesmo...

Existem olhares, toques, sorrisos, que são tudo...
Existem pessoas que enchem tudo, tudinho...

É bom conhecer um coração bem distinto do meu, mas com os mesmos contornos que o meu...
É bom ver que tudo isto acontece, é tão bom ver verdade em tudo isto...

Com pessoas assim, dá gosto, dá gozo viver...
É isto o sal da vida...
É isto o sabor, é isto...

É isto que faz realmente a vida ser vida...
É isto que lhe dá sentido...
É isto...
É isto...
É isto...

Sem mais, é simplesmente isto...
Não há tempo a perder...

E hoje eu só peço serenidade...
Existe tanta beleza...e ao mesmo tempo um montão de ansiedade, uma vontade enorme de querer, de ter, de fazer, de conseguir... Uma correria louca... Nada assim se aproveita...
Parar... preciso olhar e ver...
Não pode ser assim tão difícil...
É só preciso uma serenidade enorme, uma confiança enorme, um amor pela vida enorme...

Os dias de chuva são belos, os trovões tornam-se música, o vento é sopro agradável, quando acreditamos que é em nós que vive o sol. É em nós que ele nasce, e é em nós que ele se põe todos os dias...
É em nós que ele brilha... é em nós...

Hoje só tenho mais a acrescentar... que sou uma sortuda...
E vou com um sorriso enorme no coração, enquanto dentro tudo se entranha e se rasga numa felicidade enorme...


Caramba!!!
Eu tenho (uma) vida...
Está a acontecer neste momento...
Agora.. sem antes nem depois...


video

(ontem fui ver um concerto da Sara Tavares... ela é em parte culpada por esta partilha, por isso deixo aqui está música dela, por sinal muito bonita, tal como tantas outras... Pareceu-me ser uma pessoa cuidada, uma pessoa cheia de vida... indescritível...)


sábado, 31 de outubro de 2009

?




A minha Igreja não é a deste mundo...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Rabiscos




Sinto-me feliz pelo trabalho final das aulas de ontem...
Enquanto os ouvidos escutam as mãos dançam...
Não tem as expressões fofinhas do amigo do lado, e falta-lhe outras tantas coisas, mas confesso que me sinto contente pelo resultado final...
E eu que julgava que não conseguia rabiscar caras...

Rabiscar parece que já consigo, talvez daqui a uns dias já as desenhe...

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Já chega Exmo Dr.



Maldito D e R, porque vos juntastes? Como ousaram, um dia, se unir um ao outro?
Vós que sois fingidos, e que sem dó nem piedade, passais por cima do nome e daquele a quem ele pertence...

Como podeis, andar tão aparentados, se nem sequer chegais a ser coisa alguma...
Como podeis usar querer ser o que não sois...

E como vós tantos outros, como o E que se juntou ao X e ao M e que ainda tem o descaramento de por vezes se juntar a um O ou a um A, de acordo com aquilo que lhe convém...

Vós escondeis o que é belo...
Vós fazeis tudo parecer tão limitado e proibido...
Vós sois como que algemas que não permitem o voo da gaivota...

Em algumas palavras... vós estragais tudo...
Fica tudo tão pouco belo...

Fazeis o peito encher... fazeis-nos parecer galinhas...
Como sois feios...

Agrrr...e quando falais da experiência?
Sois tão pouco que nem vos dais conta de que a experiência não se faz de anos, mas do uso...



Ide-vos, para não mais voltar...
Não continueis a afundar o que realmente existe...





(hoje descobri que tenho músculo no pé... primeira aulinha de popó...  na realidade segunda, mas a outra não conta dado que não sai do sítio. Brum brum, aqui vou eu... )

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O outro lugar...




Existe um lugar onde gostaríamos, muitas vezes, de ser capazes de lá ir...
Quantas vezes gostaríamos de ser capazes de nos colocarmos no lugar do outro...

Mas não é possível...
Esse lugar já é ocupado pelo outro e não pode ser ocupado por mais ninguém...

É impossível sentirmos e sabermos como o outro se sente perante uma situação...
É impossível sabermos ao certo, o que será o melhor a fazer, a agir...
Vai existir sempre uma visão diferente de tudo à volta, daquela que o outro tem da sua janela...

Mas uma coisa é possível...
Podemos pegar no nosso lugar e juntar ao lugar do outro...
E juntos descobrirmos um novo lugar, onde tudo parece melhor...

Pode não ser possível colocarmo-nos no lugar do outro...
Mas é possível estar com o outro, ir com o outro...

Criar laços, verdadeiros laços...

domingo, 11 de outubro de 2009

Bem Amar



Amar as Pessoas
como elas querem ser amadas...


terça-feira, 6 de outubro de 2009

Pés de gigante




E hoje, enquanto a noite vem...
Tento lembrar-me das vezes em que fui injusta...
É difícil não se ser injusto...

O que a mim me parece branco ao outro pode parecer muito preto...
O que a mim me alegra ao outro pode provocar um sentimento de completa tristeza...

O que eu sou, não é perfeito...
Não é o ideal...

E é na constante procura do melhor para o outro que nos tornamos a nós mesmos melhores...

Tanto preconceito, baseado apenas em mim...
Tanto julgamento, baseado apenas em mim...
Mas ao fim ao cabo, quem sou eu para fazer seja o que for em meu nome...

Há que procurar a humildade...
Palavra já tão gasta e de sentido tão pouco claro...

Há que procurar a humildade, para vermos no outro um exemplo, alguém que também respira que também sente e que também procura como eu formas de estar...
Há que procurar a humildade, para podermos ver sem escamas nos olhos, para podermos ouvir sem palavras distorcidas, para podermos falar com carinho...

E tudo isto é tão difícil...
Porque não tem forma...
E porque a forma que lhe damos nunca pode ficar apenas por aquela que lhe queremos dar...
Tem de ser moldado por muitos corações...


É preciso muito cuidado para não calcarmos o outro, quando nos julgamos com pés de gigante...

domingo, 4 de outubro de 2009

Talvez não saiba falar de Ti...



...mas,
a mim já me faria muito feliz,
saber que um dia consegui,
levar alguém a experimentar-Te...


quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Racismo, preconceito...



Racismo: teoria que afirma a superioridade de certas raças e nela assenta a defesa do direito de dominar ou mesmo suprimir as outras; atitude preconceituosa e discriminatória contra indivíduos de determinada(s) raça(s) ou etnia(s).

Estou um bocado cansada de todo o racismo que crio e vejo criar-se à minha volta.
Todo este preconceito e discriminação do outro, que é um outro como eu...

Todos os factores que o outro tem que são diferentes dos meus, e que podem ou parecem poder algum dia deitar o meu muro a baixo, são factores a eliminar.

É engraçado como muitas vezes ainda achamos que deixar cair o nosso muro é mau...

Sentimos imensas vezes o racismo.
E longe está de se poder imaginar que este acabou ou não existe...
Nem no dia em que todos formos brancos, nem no dia em que todos formos pretos, o racismo terá fim...
Isto porque o racismo já não reside à muito na pele (se é que alguma vez residiu só ai)

Para mim o racismo é um preconceito que nasce do medo...
Temos muito medo, medo de inúmeras coisas, inclusive de pessoas e de nós mesmos...
É uma discriminação que nasce para nos defendermos, é como que uma porta que nos separa dos outros e que é lisa de um lado e rugosa do outro...

O racismo não é apenas um escudo, é um escudo e uma espada...
Defendemos e estamos prontos a ferir caso a característica em questão do outro, venha em direcção a nós...

O racismo é a arma dos fracos...
E ao fim ao cabo chegamos a conclusão de que o somos todos...

O racismo acaba por ser a nossa selecção natural...
"Somos muitos, e já o outro anda a pisar a linha continua que divide a minha propriedade da dele...
Ora bem, os outros têm uma característica menos normal, toca a começar por eliminar estes, não vão um dia também estes tentar pisar a  linha..."

Só que parece que cada vez mais o espaço fica apertado, parece que cada vez somos mais, e que cada vez mais as pessoas se sentem rodeadas de pés a querer invadir propriedades...
Consequência, andamos todos a tentar encontrar mais factores que o outro tem que possam parecer um perigo a surgir, para não corrermos nunca o risco nem a tentativa de o outro conseguir um dia chegar lá dentro, ao mais fundinho, onde se esconde tudo, até mesmo o "lado mais lunar"...



"No mundo em que vivemos é mais fácil destruir um átomo do que um preconceito" Albert Aistain



Amor efectivo, Amor que se realiza...



"Um dia um homem caiu num poço e não conseguia sair de lá.

Passou uma pessoa subjectiva e disse-lhe:
- Sinto muito que estejas aí no fundo do poço.

Uma pessoa objectiva, olhando-o declarou:
- Estava-se mesmo a ver que alguém havia de cair neste poço.

Um moralista exclamou:
- Só as pessoas más é que caem em poços.Se me tivesses escutado, não estarias aí agora.

Um cientista pôs-se a calcular a pressão necessária para tirar o homem de dentro do poço e seguiu o seu caminho.

Um geólogo espreitando para dentro sugeriu:
- Aí dentro podes apreciar as rochas do poço.

Um gabarola proclamou:
- Isso não é nada, havias de ver o meu poço.

Um psicólogo aconselhou:
- Tudo o que tens a fazer é convencer-te que não estás num poço.

O optimista advertiu:
- Podia ser bem pior.

O repórter quis logo o exclusivo da história do homem que caiu no poço.

Um pregador retorquiu:
- O teu poço é apenas um estado de espírito.

Por fim, passou "Aquele Que Ama". e vendo o homem, estendeu-lhe a mão e tirou-o para fora do poço."

domingo, 27 de setembro de 2009

Lord Of The Dance

 

DEUS DA DANÇA

Eu dancei no início quando o mundo se formou

Eu dancei na lua, nas estrelas e no sol
Então eu desci para dançar na Terra
E foi em Belém que tudo começou.

REFRÃO:

Dancem, em todos os lugares
Porque Eu sou o Deus da Dança - diz Ele
Eu vou guiar-vos a todos, por onde estiverem
Eu vou guiar-vos nesta dança - diz Ele


Eu dancei para os escribas e para os Fariseus

Mas eles não dançaram nem quiseram ser dos meus
Eu dancei na praia para o Pedro e João
Eles vieram comigo e a dança começou...

Eu dancei ao Sábado e curei o leproso

Mas a gente sagrada disse que era vergonhoso
Então começaram a gritar e a bater
E prenderam-me bem numa cruz a morrer....

Eu dancei numa sexta quando o céu escureceu

É difícil dançar com o pecado do mundo às costas
Eles enterraram o meu corpo e pensaram que eu tinha acabado
Mas Eu sou a dança e a dançam não tem fim...

Eles mandaram-me abaixo mas Eu ergui-me ainda mais alto

Eu sou a Luz que nunca nunca vai morrer
Eu vivo em Ti se tu viveres em Mim
Eu sou o Deus da dança - diz Ele!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

100


100
Parece que a nau faz hoje a sua 100ªviagem...

100 viagens...
100 viagens de descobertas...
100 viagens de verdades...
100 viagens de barbaridades...
100 viagens de nadas...

Uma viagem cheia de sentimentos, cheia de imagens, cheia de palavras e pela falta delas...
Uma viagem embalada por músicas e por muitas pessoas...

Ainda me lembro de ti, que foste o primeiro a saber destas andanças...
Ainda me lembro de ti, que foste o primeiro a comentar...
Ainda me lembro de ti, que viveste este e aquele momento que por aqui partilhei...
Ainda me lembro de ti, que me disseste que passas por aqui todos os dias...
Ainda me lembro de ti, que foste o último a comentar...
Ainda me lembro de cada momento que esta nau me proporcionou e proporciona...


Ainda me lembro...
E espero que por aqui se continue a fazer um mar de memórias...


(e só agora passado este tempo todo é que me dou conta de que a nau já tem 2anos, feitos a 19 de Fevereiro, data em que se realizou a primeira viajem em 2007)

Será tão breve assim?!?!


domingo, 13 de setembro de 2009

Sonhos


Sinto-me feliz, quando me dou conta de que ainda sonho...
Sim, sinto-me feliz quando me parece que quanto mais velha vou ficando, mais novo se vai tornando o desejo de sonhar...
Espero que não seja só um parecer, e um sentir, espero mesmo que seja isso que acontece...

Cada vez sinto mais que o impossível é menos possível...
Cada vez sinto mais que os limites são uma utopia e uma barreira que nos próprios criamos para nós mesmos...
Dizemos que não podemos voar, mas podemos, nós sabemos que sim...
E continuamente vamos dizendo que não, criando esse limite como escudo ao nosso medo...

Mais feliz sou quando me dou conta de que ainda sou capaz de acreditar nesses mesmos sonhos...
De que quase nenhum sonho, ou atrevo-me mesmo a dizer nenhum, me parece absurdo, ou irreal.

Sou feliz quando me dou conta de que quero experimentar, sem medo das falhas ou dos fracassos que daí possam vir...

Sonhar só por sonhar não vale quando não se acredita.... assim é batota...
A vida é real (vai daí talvez não, venham daí os filosóficos) e bom é saber que dentro dela sonhar faz parte, e que o possível e a possibilidade também por lá andam...




(fico triste quando os outros não sonham...)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Obrigada!














Por todos os dias!
Obrigada por estares sempre comigo!
Obrigada por aquilo que juntos vivemos, construímos, fazemos...

Obrigada por toda esta liberdade!
Obrigada por nunca te impores!
Obrigada por falares sempre de uma forma tão doce e calma...

Obrigada por aquilo que És!
Obrigada por aquilo que me fazes ser!
Obrigada por aquilo que Somos...

Obrigada por me deixares ser!
Obrigada por me deixares ser Contigo!
Obrigada por me deixares sempre escolher...

Obrigada pelos dias de sol que me deixam cansada!
Obrigada pelos dias de chuva que me fazem querer estar abrigada!
Obrigada pelos dias de vento que me fazem querer sentir aconchegada, no meio de tantos abraços...

Obrigada pelas Pessoas!
Obrigada pelas Relações!
Obrigada por poder fazer-Te acontecer...



Caramba...
Obrigada por tudo!
E desculpa se não me dou conta de tudo isto, tantas vezes como devia...

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Somebody To Love

A "descobrir" Queen...

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Vida Silenciada

Parece que me aventurei a criar um novo espaço...

Será um espaço um pouco diferente deste.
Mas espero que vos faça "sentir" e quem sabe viajar por enumeros espaços, alguns talvez nunca encontrados, alguns talvez nunca criados. Quem sabe, talvez sonhar, chorar, rir, voar. Talvez relembrar, fazer memória.
Quem sabe...

A entrada pode ser por aqui.
Ou então se preferires, aqui ao lado na lista de blogues.

sábado, 15 de agosto de 2009

Efémera

E hoje, sentada à beira do rio, ouvindo cada gota de água a correr, pensei...

Como será a vida de uma efémera?

Como será a vida de um insecto que quando chega ao seu estado adulto (quando vem para fora de água) se dedica apenas em 1dia/2dias a criar as gerações seguintes?

Sairá ela a descobrir rio acima, rio abaixo?

Ficará parada num galho simplesmente por estar, ou olhará horas a fio a sua imagem espelhada nas águas transparentes do rio?

Terá ela medo de voar, de sobrevoar o desconhecido?

Ou será antes uma efémera forte que vai contra as correntes e vento e que não mede o tempo que passa dos seus dias de vida?

Quanto será uma hora, um minuto, um segundo?
Breve, prolongado, calmo, agitado?
O que importa?

Porque não voar?
Afinal morro já amanhã...

domingo, 2 de agosto de 2009

Xinti

Sem nada mais para dizer se não o muito que esta música (me) diz...
Com uma lágrima, com um sorriso, com todas as minhas expressões e sensações...
Na certeza de que amanhã é sempre outro dia...
Esta música diz (me)... e acho que nunca me senti tão pertença de uma música como desta...



video


Vou respirar ar puro, e entretanto volto...

Descansar...
Estafar...
Pensar...
Reflectir...
Silêncio...
Barulho...

Respirar muito...
Expirar, inspirar...
Viver...

Com esperança...
Na esperança...

sábado, 25 de julho de 2009

Encantos...



É mesmo bom quando coisas que nos parecem ser um estorvo se tornam o encanto da noite...

Ontem depois de um ensaio fui para um jantar de aniversário no Porto, e chatice das chatices tive de levar a guitarra comigo...

Foi então que depois de jantadinhos decidimos ir para a ribeira... e sentados à beira da ponte tiramos a guitarra e ali ficamos horas a cantar e a tocar, iluminados por todo o brilho do Porto...

Foi mesmo bom!!!

terça-feira, 21 de julho de 2009

sexta-feira, 10 de julho de 2009

"Sou porque me Amas...


... porque me Amas eu Sou!"



Tenho a certeza, que o Amor é o essencial...
A parte não visível aos olhos, como dizia o Principezinho, mas sem dúvida, a parte que preenche a Vida de mil e uma cores...

O Amor, é o que me faz hoje dizer, SOU FELIZ!
E apesar de algumas pessoas poderem dizer que és mais feliz num dia que noutros, e que em alguns não o chegas sequer a ser, com o Amor posso dizer que já não há volta a dar...
SOU FELIZ, a diferença é que há dias em que me lembro disso, e outros não...

Amanhã vou fazer o Crisma!
Aquela festa que muitos desejam não ter de um dia festejar, é a mesma que hoje me faz sentir o coração grande...
É só uma festa, uma mera festa, um dia apenas, mas é uma festa que ganha todo o sabor quando sabemos que é um dia de compromisso, um dia em que conscientemente dizemos e queremos dizer SIM a um caminho e sentido de VIDA positivo, perante um grupo de pessoas onde muitas sentem e entendem este mesmo SIM, e onde outras tantas, sentem que tudo isto não passa de um simples ritual ou tradição...

Falo num SIM consciente, porque, apesar de ter a certeza de o que Amor é o essencial, preciso pensar e saber se estou disposta a aceita-lo como tal e a aceitar tudo o que Ele É e trás junto com Ele. Olho ao meu redor e sei que não é fácil, mas também sei que é possível e especial guiar-me por um caminho assim.

O Amor é o topo e ao mesmo tempo a base...
Segura-me e faz-me voar...

O Amor é como uma bola envolvente...
Que ao tocar não deixa indiferente...

O Amor vira do avesso...
E faz-me descobrir coisas novas, mundos gigantes...

O Amor é especial!
E não se diz assim por acaso...

Por isto e por estas razões, hoje e depois, não posso dizer NÃO!
E vai-te Satanás para que não me seduzas...
Porque sem dúvida que o Amor tem um encanto especial...

SIM, SIM, SIM!
E em três vezes desejo dizer SIM a um Amor que é entrega, que é dádiva, a um Amor que caminha de braços abertos e a um Amor de constante relação...

E no meio desta alegria toda, não me posso deixar de dizer sortuda...
Sortuda por ter dificuldade em escolher uma só pessoa para caminhar comigo...
Sortuda por ter tantos e bons amigos a querer caminhar comigo...
Apesar de no papel só poder escrever um nome, convidei todos aqueles bons amigos melosos para crescer comigo, escrevendo no papel o nome da mana de coração grande (sem esquecer que o mano também tem e os meloso também. Parece que sou mesmo sortuda!)
Não são todos que têm esta oportunidade... e por isso me sinto tão sortuda...

Ah e de entre outras pessoas que comigo vão dizer SIM, vai a Inesita aqui do estaminé ao lado!
Estou sem dúvida rodeada de gente boa!


SIM!

"E ter a certeza, que quando chamares por mim, eu responderei...
Diz-me que Tu me Amas, quando Te encontrar em mim, ensina-me a Amar!"

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Casa...



Casa, Casa, Casa...
Quero voltar para Casa...

Quero o lugar calmo, e os cantinhos todos da Casa da forma que só eu conheço...
Quero a Casa feita de portas e janelas, que em dias se abrem e em outros se fecham...

Preciso voltar para Casa...

Preciso voltar à base, e recarregar o coração de coisas boas...
Voltar a Casa, onde encontro a intimidade e o carinho que abraça...

Preciso ver sorrisos e corações bonitos...
Quero voltar para Casa...

Preciso...

Preciso voltar a Casa e sonhar...
Lembrar-me de que o sol nasce todos os dias...


Voltar...

Casa...




Até já...
Talvez a caminho de Casa...



terça-feira, 7 de julho de 2009

Dias...




Hoje olhei pela janela... e desejei acreditar que o mundo era bom...


Desejei Acreditar nas coisas boas da vida!!!
Porque são elas que valem realmente a pena...

domingo, 5 de julho de 2009

Falar em nome de...



Será possível falar-se em nome de Deus?
Já ouvi esta frase algumas vezes...



Para mim falar em nome de alguém é sempre uma tarefa grande demais...
Uma tarefa impossível de caber em nós por tal tamanho...
Se tantas vezes não sabemos falar em nosso próprio nome, como poderemos falar melhor em nome de alguém?

Quando ouço alguém dizer "vou falar em nome de", suponho sempre que se vá transmitir a ideia de alguém que não está presente, desta ou daquela forma, por esta ou por aquela razão...



E se pudéssemos sentir tudo isto de outra maneira e dizer:
Vou falar Por Deus, Com Deus, Em Deus...
Vou falar Por Amor, Com Amor, Em Amor...

... e não em nome do Amor...
... porque esse, esse sabe apenas exprimir-se como "Tudo O Que É"...



sexta-feira, 26 de junho de 2009

O que são as palavras?


Talvez alguns digam que vivem no mundo do silêncio...
Talvez alguns digam que são uns coitadinhos...
Talvez alguns digam que não são normais...
Talvez alguns tenham preconceito...
Talvez alguns os ponham numa cultura à parte...

Então talvez hoje alguns precisem de parar para escutar...




Hoje gostei muito da experiência que pude viver de tarde...


Neste segundo semestre, tenho tido aulas de língua gestual.
Tem sido uma experiência muito boa e sem dúvida entusiasmante e divertida.

Como forma de avaliação temos todos de realizar um trabalho de grupo.
Então hoje, durante a tarde, juntamente com o meu grupo, de forma a arranjar informação, fui a uma associação de surdos para falarmos com alguém que tivesse uma vivência mais próxima desta realidade.

Não estávamos a contar que quem nos fosse receber fosse surdo.
Mas foi sem dúvida muito bom.

O senhor B. era muito divertido e engraçado.
Dizia-se, e diz-se um revolucionário, com vontade de mudar muita coisa...

Para falarmos com ele, tivemos ao nosso dispor uma intérprete.
E apesar de não termos falado "directamente" com o senhor B. senti-me muito próximo da sua Pessoa.
Ele apesar de surdo neste momento, anteriormente já pode ouvir e por isso ele respondia-nos por palavras vindas da boca, e certamente, muitas delas, vindas do coração, com a energia com que falava da sua vida.

Foi gira a experiência final, que pedi para realizar, de poder falar Pessoalmente com o senhor B. através da língua gestual, com o pouco que sei e aprendi.

Foi giro. Muito giro. Foi uma experiência única.
A experiência em que as mãos falam.
Uma experiência em que conheces e te dás a conhecer ao outro pelas mãos, pelas expressões faciais que são tão importantes para comunicar.
Uma experiência onde as palavras voam pelo espaço...



Para o senhor B. ver alguém sorrir é mais que uma porta aberta para a comunicação. É um sim para o à vontade.


E relativamente ao que é normal ou anormal...
Onde se encontra o limite para ser uma coisa ou outra? Existirá?


Foi um prazer conhecer o senhor B. e por isso, hoje, não podia deixar de o partilhar.


Temos de nos lembrar que a surdez é invisível.
É algo que não se vê, muito menos se vê ao nível do coração...

O senhor B. podia realmente não ouvir, mas acredito que nos escutou a todos com muita atenção e dedicação.






Terás hoje escutado?

Experimenta, hoje, deixar de lado as palavras vindas da boca, que tantas vezes se tornam banais, e comunica...

Existem infinitas maneiras de o fazeres....

sábado, 20 de junho de 2009

Por favor...

... hoje deixa-me ser diferente...




Hoje acredita em mim...
Acredita que consigo...
Acredita comigo que é possível...

Hoje não me deixes sozinha...
Fala comigo, ajuda-me a crescer...
E hoje não deixes de dizer porque achas que não vou gostar de ouvir...
Tu sabes que, feliz ou infelizmente, a forma como as palavras se dizem sempre me falou muito, sabes que muitas vezes mais do que as próprias palavras...

Hoje deixa que me perdoe...
Deixa-me desamarrar do passado, mas sem o apagar...

Hoje não me generalizes...
Não me tornes igual a ninguém...
Vê-me como única...
Vê-me como alguém que vai crescendo......

Hoje vê-me como uma Pessoa...
Pessoa que Vive, Pessoa que Sente, Pessoa que Ama...

Hoje... deixa que seja o início de todos os hoje's...
Deixa que todos os dias sejam um recomeço...




Hoje...
Dá-me espaço para ser diferente...


segunda-feira, 8 de junho de 2009

Quem inventou o umbigo???


Quem disse que é a coisa mais bela???
Quem ousou inventar esta maneira de caminhar a olhar para baixo???

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Coisas...


Nunca queiras ser alguém que não acredita nas suas próprias características... nas suas próprias capacidades...

É desgastante... teres sempre aquela necessidade de sentir quem realmente és, mas nunca conseguires agarrar nada... nada parece suficiente... tem o lado bom de quem procura sempre mais, mas o lado péssimo da insatisfação...

Se te elogiam sabe a nada... se te negam é tudo...

Só o gesto satisfaz... e as palavras... essas... perdem todo o sentido e veracidade...

Insegurança nunca nos agarrou a nada...




Mas eu sinto-me tão presa a ela...





quarta-feira, 3 de junho de 2009

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Quem disse?



Quem disse?

Quem disse o que é branco e o que é preto?

Quem disse o que é grande e o que é pequeno?
O que é frio e o que é quente?

Quem disse?

Quem disse o que é rápido e o que é lento?

Quem disse o que belo e o que é feio?
O que é bom e o que é mau?

Quem disse?

Quem disse o que é normal e o que é anormal?

Quem disse como era e como não era?
O que se deve e o que não se deve?

Quem disse?

Quem disse o que é muito tempo e o que é pouco tempo?

Quem disse o que doía e o que não doía?
O que é alegre e o que é triste?

Quem disse?


.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Às coisas grandes da vida, chamo-as de Deus...


























Eu não te sei dizer quem é Deus, não to sei definir...

Mas sei-te falar um bocadinho de uma coisinha que mexe lá dentro e que sabe o mais íntimo de mim mesma porque está em mim e experimenta comigo as coisas menos felizes e as mais felizes da minha vida, e por isso gosto de lhe chamar de Deus, porque é algo que me ultrapassa, e que acredito existir em cada um...

Não sentes aquela parte dentro de ti, que só tu a experimentas, e que ao mesmo tempo é aquela parte que dás de ti aos amigos de verdade?

Gosto de lhe chamar de Deus, porque é algo da Vida, fora de tudo aquilo que as coisas do mundo te fazem sentir...

É aquilo que se revela nas relações, realmente merecedor de um trono, porque me faz experimentar coisas maravilhosas, e por isso gosto de lhe chamar de Deus, porque ultrapassa e é novidade todos os dias daquilo que vais experimentando...

É uma força de vida que te faz sorrir, amar e sentir as entranhas todas estremecerem...

É algo que te faz sentir tudo de uma maneira que parece que o coração vai explodir...

É algo que te faz sorrir de uma maneira única e que faz parecer que nada cabe na palma da mão...

Nunca te sentiste assim? Eu gosto de lhe chamar de Deus, porque é algo realmente grande...

Antes davam muita importância ao vinho e chamavam-no de Deus Baco, dado a sua grande importância...
Eu gosto de dar importância ao Amor e chamo-lhe de Deus Amor, porque na vida é o essencial...
Acho que é a única coisa capaz de nos preencher sem pedir nada em troca e que nos deixa tantas vezes de sorriso de bochecha a bochecha...

Quanto te sentes Feliz sentes-te como se algo enorme habitasse em ti e eu gosto de lhe chamar de Deus. O mesmo Deus que te faz sentir a ti feliz, mas que o sentes de maneira diferente porque é o teu...

O engraçado é que todos possuímos este Deus, esta força de vida tão especial...
Mas não gostamos de lhe chamar assim porque faz lembrar outras coisas...
A um Deus põe-se sempre barbas e nuvens e coisas assim, porque lhe chamamos pessoa, mas não é pessoa, é sim algo que se demonstra quando somos Pessoas...

E tantas vezes o mundo guerreia porque simplesmente não o sabe dizer...
Trocam-se palavras e mais palavras de algo que todos vivemos, mas as palavras atraiçoam...

Mas não há dúvidas de que todos o temos, todos o sentimos... mas damos-lhe é nomes diferentes...

E também dele fugimos porque não o sabemos definir, mas nem tudo na vida precisa de definições quando precisamos apenas de o sentir...

Gosto de dizer que na minha vida há um Deus, algo a que eu dou muita importância...

Na minha vida há um Deus e eu chamo-lhe de Amor, porque é mais do que um simples sentimento, porque deveriam chamar-lhe de Rei, e o qual gostaria de um dia construir um Reino...


Se o Amor manda-se... isso é que era bom...



O meu Deus, ve-se nas relações...
O meu Deus é aquilo que não se troca por nada...



Aquilo que me enche cá de uma maneira....




Era bom que todos possuíssem um Amor, capaz de lhe chamar de Deus por tão grande que é...


domingo, 17 de maio de 2009

Esta é a minha Cidade!



Assim é a minha Cidade...

É uma Cidade grande para uns, pequena aos olhos de outros...
É uma Cidade cheia de histórias para contar..

Esta é a minha Cidade!

De dia o sol ilumina-a, de noite nunca fica escura...
Existe na minha Cidade, sempre pontinhos de luz... nunca fico às escuras...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade existem muitas pessoas...
Pessoas únicas...
Pessoas tristes...
Pessoas felizes...
Pessoas como eu...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade existem espaços onde se houve comboios que trazem pessoas, que levam outras...
Na minha Cidade tem metros que levam pessoas apressadas, outras que caminham com calma...
Nas ruas da minha Cidade existem pessoas sozinhas, e outras que sonham...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade existem casas novas, casas que ainda se encontram em construção, casas que se derrubam e outras que mesmo velhas se mantêm e guardam histórias de anos...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade há vento, chuva e sol...
Vento que é encanto, vento que vira do avesso a vida...
Chuva que dá vida aos solos que já secaram, que limpa as ruas...
Sol que aquece os espaços frios, que amorena a pele...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade há pássaros que voam, formigas que passam despercebidas, cães que ladram...
Na minha Cidade há ruas estreitas, ruas mais largas, ruas que sobem, ruas que descem, ruas que contam histórias...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade há espaços de silêncio, espaços de muita confusão...
Na minha Cidade há lixo, e espaços muito belos...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade corre um rio...
Há barcos de sonho, barcos que carregam vida...

Esta é a minha Cidade!

Na minha Cidade há dias mais alegres outros mais sisudos...
Há dias...

Esta é a minha Cidade!




Com coisas melhores, outras piores...
Mas sempre na certeza de que esta é a minha Cidade!

Sempre na procura de crescer...
Sempre na procura de construir em alicerces melhores a minha Cidade, por onde entram e saem muitas pessoas, e onde sempre deixam marcas...

Onde aprendo a cada dia a ser Feliz, porque é a minha Cidade!




Foi muito bom o momento...
Falei com Ele sobre a Cidade que sou, e aquilo que poderei fazer dela...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Como se diz tudo isto?




Gosto tanto de consolar e de ser consolada...

Gosto tanto deste tu e eu...

Gosto tanto de quando somos nós...


Haverá coisa melhor?


Verdadeiro Amor, verdadeira Graça, verdadeira Entrega...

Gosto tanto de Ser Pessoa e de poder Amar...


Chegará Feliz para dizer tudo isto?



Obrigada quando És...
Obrigada por me permitires Ser...






segunda-feira, 30 de março de 2009

Na Seara



Pequenina semente...
Frágil semente...
Receosa semente que vai na sacola do seu semeador...

Saiu do estábulo...
Saiu da sua certeza, do seu cantinho...
Saiu do seguro de ver os raios de sol entrar e aquecer todos os dias, sempre da mesma maneira...

O semeador coloca a sua mão dentro da sua sacola...
Não escolhe...
É um semeador que acredita no poder e beleza de todas as suas sementes...

Atira fora...
Não prende...
Liberta...
Umas caem aqui, outras acolá e outras ainda mais ao longe...

Todo o espaço é espaço...

A terra aos poucos vai envolvendo toda e cada uma das sementes...

O sol aquece a terra, e algumas das sementes são preguiçosas...
Outras mais receosas...
Outras arriscadas...

O medo de morrer...

Aos poucos algumas vão espreitando...

Lá em cima o sol abraça cada uma com os seus raios...

Confiança...
Esperança...

Aos poucos vão crescendo, crescendo, germinando, endireitando, embaladas pelo vento...

Morrem em terra...
E agora vivem, são fruto...

O semeador acolhe cada uma...
Transforma-as em pão...

Uma pequena semente, que agora é pão...
Uma pequena semente que antes era apenas uma semente e que agora é alimento...

Desinstalou-se...
Germinou...

Campos cheios de trigo, campos dourados...
Mesas cheias de pão, mesas cheias...


"Se o grão de trigo,
Não morrer na terra
É impossível,
Que nasça fruto.
Aquele que dá,
A sua vida aos outros
Terá sempre o Senhor"



Meu Semeador...
Tu que tornas os campos belos...

Tu que acreditas sempre...

Tu que libertas e convidas a germinar...


Ajuda-me todos os dias a morrer um bocadinho

Ajuda-me a espreitar todos os dias mais um bocadinho por cima da terra...


Agradeço-Te tanto a semente lançada...

Os raios de sol podem no início parecer grandes de mais para uma semente tão pequenina...

Mas logo deixa de ter importância quando se descobre o conforto e a alegria de se ser iluminado...


Obrigada Meu Semeador...

Admiro-Te tanto!


Como tudo se torna tão bonito quando pões a Tua mão...


segunda-feira, 23 de março de 2009

Na Cruz



Por vezes pensar num "fim" assusta...
Mas mais assusta, pensar-se num "fim" mais forte que a própria vida, e que termine com esta ao mesmo tempo que é dado o último suspiro...

Jesus foi crucificado, mas não se foi...

Ficou...

A vida foi vivida com tal intensidade e dádiva, que morreu o corpo, mas ele ficou "partilhado" por todos aqueles em que tocou...

Por todos aqueles em que tocou com as palavras de quem saboreia a vida...
Por todos aqueles em que tocou com os gestos de quem não se guarda para si...
Por todos aqueles em que tocou com o olhar meigo de quem Ama...

Ficou de tal forma que ainda hoje podemos guarda-lo connosco...

Aprecio sem dúvida, a sua força, a sua coragem, a sua confiança e a sua firmeza com que caminhava...
Não era um homem mole, adormecido, e levado pelas mares... ele caminhava sobre tudo isso...

Conseguiu no meio de muitas multidões, encontrar o verdadeiro sentido...
Conseguiu ser diferente no meio dos diferentes, conseguiu atrever-se para que muitas outras vidas o pudessem fazer também...

A sua morte foi mais uma prova de que não jogava com a vida...
Foi sinal de que levava tudo isto com seriedade, porque o que é sério não precisa de ser coisa dos aborrecidos.
Levar a vida com seriedade era dar-lhe importância...

Invejo-o saudavelmente...
Consegue provocar-me e fazer-me dessa forma correr atrás de dele...
Consegue cativar-me...

É como um chupa que a criança deseja apanhar para lhe provar o sabor, e que depois vai passando de boca em boca para que todos o provem também, para lhes mostrar algo delicioso que descobriu...


Papá, diz ao Jesus que o estimo muito...
Não tivemos o prazer de nos conhecermos pessoalmente, vivemos em épocas diferentes, mas ele soube tão bem trazer-Te com ele...

Deves estar babadinho...

Gostava de ter estado com ele, de lhe ter tocado as mãos e de conversar sobre muitas coisas, mas sei que certamente teria sido como muitos dos seus amigos.

Sou mole Papá, sabes disso...

Procuro a minha firmeza com Jesus, procuro-a contigo Papá...

Procuro ser mais arriscada...

Procuro ser corajosa como Jesus, na construção do teu Reino, Reino de Amor...
Procuro despedaçar o medo com a força daquilo em que acredito...

Procuro que sejas grande em mim Papá e que desta forma quando chegar o fim, desfaça-se o corpo e eu voe por aqueles em que toquei...

Obrigada Papá...

E coloca em mim um mais, para que exista positividade em todos os meus gestos, em toda a minha maneira de ser, para que eu seja uma coisa boa a acontecer na vida dos outros...

Não me deixes ser vencida, e ajuda-me a vencer Ser!



sexta-feira, 20 de março de 2009

O prazer...



Um dia, durante uma aula, um professor meu, por outras palavras, disse que "ser cristão, não é o mesmo que viver uma vida sem prazeres. Que ser cristão é precisamente o contrário e que implica prazer. O prazer não é um pecado."

Deus quer que sejamos felizes, mais do que qualquer outra coisa, e sabe que isso é já um prazer...
Deus quer que tenhamos prazer por todos os dias, quer que tenhamos motivos de alegria, motivos para festejar...

Jesus não terá tido uma vida de prazer?

O prazer é algo bom...
Sentir prazer por viver, sentir prazer por poder abraçar alguém, sentir prazer por um bom prato, sentir prazer por respirar, sentir prazer em construir um caminho...

Deus não quer ninguém triste, ninguém sacrificado...

Deus só nos segreda com a sua sabedoria para optarmos por prazeres que durem, prazeres que não nos tornem tristes, prazeres que nos façam crescer, prazeres que nos façam sorrir, prazeres que nos façam felizes, prazeres que nos encham verdadeiramente o coração...



Obrigada Papá!
É um prazer a cada dia ir-Te conhecendo...

É um prazer ter com quem partilhar-Te...

É um prazer viver Contigo...

É um prazer Amar e ser Feliz assim...

Obrigada...

E olha... muito prazer!!



Faz a viajem a voar...

A vida é um prazer...

terça-feira, 17 de março de 2009

No Templo


Momento tão bom Contigo na montanha...
Brisa suave...

O poder que tens de tornar tudo novo, tudo motivo de encanto...
Tudo encanto...

Olho para o templo...
Paredes frias...
Pedra...
Dureza...
E uma firmeza enganadora...

Dentro estão os vendedores...
A Tua casa não é assim...

A vontade de chicotear...
A vontade de varrer...

Levanto poeiras...
E desta vez não as quero levantar apenas, quero mais do que isso...
Muitas vezes, a tentação de esconder para baixo do tapete, mas não, não quero esconder mais, não desejo ser engano para mim mesma...

Preocupar-me em limpar...

Limpar, renovar, renascer...
Se preciso, mudar tudo de lugar...
Sentir uma nova esperança, um novo sorriso, um novo acreditar...

Acreditar...
Agir...
Transformar...
Ser...

A coragem de por tudo para fora e tornar o templo num espaço acolhedor e cheio de lume...
Ser verdadeiramente Tua casa...

Resistir aos vendedores...
Chicotear...
Atirar fora...

Sem medo...

Na certeza de que só assim faz sentido...


Oh Papá...

És algo encantador...

Olho para Ti e vejo como sou tantas vezes pedra...

Olho para Ti e lembro-me de como tantas vezes permito que no teu lugar estejam os vendedores...

Olho para Ti e acredito no poder de destruir este templo e de o reconstruir em 3dias...

Olho para Ti e desejo ser teu reflexo...

Amar sim...

Deixar que vivas em mim...

Que bom!


Ajuda-me a chicotear...
FORAAAAA!!!


quinta-feira, 12 de março de 2009

O garfo e a faca


Hoje relembrei um momento passado...

Enquanto brincava com o garfo nas mãos, veio-me à lembrança, uma altura, em que vi-a nos talheres, mais propriamente no garfo e na faca, dois amantes dançantes...

O garfo, era uma dama muito fina, com um corpo firme, tapado por um vestido elegante e um cabelo comprido e liso.

A faca, por sua vez, era um cavalheiro, de fato preto e elegante, e de camisa branca onde se podia ver o seu laço. O seu cabelo era penteado para o lado...

Os dois dançavam contentes, pela pista de dança (mesa), que proporcionalmente aos seus tamanhos era algo gigante...

O garfo girava, girava e não parava, agarrada aos braços forte da faca.
Durante a dança a faca inclinava o garfo para trás ficando este apenas estendido por um braço, que com um ar muito elegante mantinha o garfo bem firme.





Acho que normalmente dançavam valsas, danças sem muito movimento de anca, dado que eles não eram de plástico...

Era uma viagem pela imaginação...


segunda-feira, 9 de março de 2009

Na Montanha


Fui para a montanha...

Cheiros de pureza...
Um ar puro...

Escutei-Te Papá durante todos estes dias no deserto...
Sei que umas vezes melhor, outras vezes pior, mas no silêncio ia procurando por Ti...

Aquele silêncio que fala...

Sabes, muitas vezes não foi fácil escutar-Te, por vezes parecia que magoava (e se calhar magoava mesmo)...
Era dor de quem se endireita... dor do distorcer das varas... a dor do crescer...

Foste falando e em silêncio fui Te escutando...

O barro ia ficando cada dia mais bonito, por entre os teus dedos...
Ganhava forma, ganhava sentido, e eu a olhar, sentia-me como uma criança que fica maravilhada ao ver o seu Papá a mostrar algo novo e muito belo...

Agora é a altura de dançar para Ti...
É a altura de Te dizer o quanto me sinto grata por tudo o que contigo vou vivendo...

Vou rodopiando por entre as flores...
Ao longe vejo as casinhas, em baixo, e as nuvens que vão passando devagar por cima delas...

É preciso subir ao monte, para ver...
É preciso subir ao monte para entender...
É preciso subir ao monte para conhecermos a nossa pequenez e o quanto grande Tu és...
É preciso subir ao monte para tocar o céu...

Sentei-me numa rocha aquecida pelo sol...
E comecei...

Oh Papá que beleza...
Sinto-me olhada, admirada por Ti...

Não consigo não saltar de alegria por tudo o que tocas em mim, por tudo o que transfiguras e vestes de branco em mim...

Como és importante para mim...

Como foi que tudo aconteceu?

Não sei...

Já nem sei bem...

Sei que aos poucos fui chegando, fui querendo, fui Te querendo, fui Te abraçando...

Foi tudo crescendo pouco a pouco...

Foi tudo brotando com a Tua simplicidade no meio das minhas incertezas e dúvidas mil....

Como seria eu sem Ti Papá?

Certamente alguém rico de nada, poderoso de tudo e triste, muito triste...

Contigo sou folha ao vento...

Sou feliz...

Como me fazes feliz...

Guardo-Te...

Quero-Te em mim, mas não para mim...

És bom e grande demais para seres algo só meu...

Quero-Te como és, e não como eu sou...

Quero-Te assim...

Novidade...

Encanto...

Alegria...

Especial...



Gritei... e a montanha concordou comigo... gritou também...
Eu disse especial... e ela respondeu especial, especial, especial...

O eco...
Aquilo que gostava de ser de Ti...
Eco...

Amor... amor, amor, amor...

E a montanha continuava a concordar comigo....


sexta-feira, 6 de março de 2009